Sobre amar e ser amado


Se tem algo que me deu tanto nó na cabeça até hoje foi esse bendito verbo chamado apaixonar. Ele nos deixa sentimental, bipolar... Eles nos dá uma revolução tremenda. Eu nunca amei tanto ter me apaixonado por você, garoto. Nossos momentos estão absolutamente congelados em minha mente e eu coloco eles no microondas quando quiser e bem entender. Vou sentir tanta saudades de você, do seu cheiro, do seu abraço e beijo. Vou sentir falta de implicar contigo diariamente, de imaginar nós dois juntos, sendo aqueles casais estranhos que as vezes nos deparamos na rua, na praça, no shopping, na frente da nossa casa. Aqueles que só de olhar já dá pra notar o quanto se amam, aqueles casais que ficam brigando por coisa boba e no outro dia um tá ligando pro outro pedindo desculpa e carinho. Não é a toa que se apaixonar é tão bom, faz parte da nossa vida, afinal. É uma fase maravilhosa em que um dia eu te odeio e no outro te amo. E essa paixão é bem simples, eu sei que lá no fundo você sabe muito bem o que sinto por você e você sabe que eu sei que tu me ama demais, apesar de negar para si mesmo. Mas, me desculpe te dizer, você foi fisgado e não tem escapatória. Nós podemos parar de nos ver diariamente, nós podemos parar até de falarmos, mas você nunca vai me esquecer, você nunca vai esquecer meus motivos de birras, minhas chatices e minhas complicações. E quanto mais o tempo passar, eu sei que tu vai me amar mais e mais. E tem uma hora que a gente nem se importa em declarar pra o mundo o quanto ama e o quanto sente saudades dessa pessoa. Tem uma hora que nós estamos felizes, nos amando, mesmo que nunca termos nos beijado, nós nos amamos mais que um casal de velhinhos, me atrevo a dizer. Esse amor é bom, é puro, é vital, é cheio de surpresas, de emoções e sentimentos, todos misturados num enorme baú que guardamos bem no fundo, o protegemos com todo nosso amor para que ele não se acabe... Mas, imagina só que loucura um amor desses se acabar?!