Pular para o conteúdo principal

PEQME: A velha preconceituosa (ou arrogante?)

Devia ser meio dia ou mais. Erica, Maria, minha mãe e eu estávamos indo em direção à parada de ônibus. Programamos conhecer o shopping. Eu particularmente achava besteira porque pra mim shopping é shopping. Mas todas elas queriam. Então o que eu posso fazer? Não sabia voltar pro hotel sozinha, por isso tentei me contagiar com a animação delas e as segui. 
— O ônibus! – gritou Erica, nossa "guia turística".
Imaginem nós quatro correndo atrás do ônibus. Eu ri da situação, afinal não é todo dia que você viaja pro Rio de Janeiro em companhia de sua mãe e suas duas amigas loucas, certo? O motorista que já estava dando partida foi gentil e parou o ônibus pra nós. Sorrimos e agradecemos ao subir. Maria não precisava pagar passagem por causa da idade e por isso ficou na parte da frente do ônibus. Fomos para o fundo do ônibus que estava lotado. Ficamos em pé esperando chegar nossa parada. Parecia ser apenas mais um dia feliz cheio de aventuras no RJ. Eu, por ser desastrada, estava concentrada em tentar não me esbarrar nos outros passageiros e facilitar a passagem deles.
Me distrai com um moço lindo, lindo mesmo, do cabelo castanho claro, espetado e dos olhos castanhos de tom duvidoso. Ele estava sem camisa em pé do meu ladinho. Me derreti momentaneamente, mas um homem interrompeu meu transe pedindo licença para passar. Dei-lhe um espaço para passar, mas acabei encostando numa mulher velha que estava sentada na minha frente. Essa mulher tornou uma encostada num oceano de problemas. 
Ela reclamou, eu pedi desculpas envergonhada e, mesmo assim, ela continuou reclamando, xingando e me insultando com outra velha que estava do seu lado. Fiquei tão chocada que não tive reação. As lágrimas já ameaçavam cair, tentei me distanciar dela, mas o ônibus estava lotado. Virei de costas e, mesmo assim, ouvia os xingamentos das duas para mim. 
O moço sem camisa me defendeu falando alguma coisa, mas eu não pude agradecer, pois se eu falasse alguma coisa, eu sabia que iria cair em prantos. Minha mãe estava ocupada tagarelando com um nordestino de Fortaleza que nos reconheceu pelo nosso linguajar e não notou o que havia acontecido. 
Eu nunca me senti tão desnorteada em toda minha vida. Foi um dos momentos que eu mais fiquei sem chão, pensando em já querer voltar pra minha terra. Não sei se foi preconceito por causa do meu sotaque ou pura arrogância da velha (ou foram ambos), só sei que quando desci do ônibus eu chorei oceanos. 
Muito obrigada, moço lindo. Foi por tua causa que eu não me permiti chorar no ônibus na frente daquela velha mal amada. E pras pessoas que são assim: espero que seu coração seja preenchido com muito amor e alegria pra acabar com todo esse rancor.
Entenda sobre o que se trata o Projeto PEQME clicando aqui.

Comentários

  1. Ainda bem que existem rapazes bonitos como ele por aí! Haha <3
    Muitíssimo obrigada.
    Beijinhox

    ResponderExcluir
  2. Infelizmente pessoas assim existem em todo lugar. Vivem de mal com a vida e descontam nos outros sem motivo. Mas ainda bem que também existem pessoas como o rapaz bonito que te defendeu, não é? haha.


    Muito interessante o projeto.


    Beijos
    www.antesdos40.com.br

    ResponderExcluir
  3. O pior no meu caso foi que eu nem sequer desrespeitei a mulher. Só porque eu encostei nela ela fez o maior fuzuê... Também pensei ser essa justificativa, mas o jeito como ela me tratou me fez perceber que ela uma pessoa cheio de rancor.

    ResponderExcluir
  4. Passei por algo parecido. No meu caso foi na fila do banco. Só tinham dois caixas que mal trabalhavam, de repente liberou um e fui pra lá, sem ver que tinha uma senhora na fila preferencial. No mesmo instante voltei e me desculpei, mas passei um bom tempo ouvindo desaforos. Fico pensando que isso tudo não é só arrogância. As pessoas andam intransigentes demais e egoístas, principalmente no transporte público. O idoso infelizmente não é respeitado como deveria e acredito que isso contribui para o ódio e intolerância com os outros mais jovens.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Thayníssima é um blog pessoal que fala sobre tudo o que autora gosta e tem interesse, sendo leitura, fotografia, gastronomia, moda, jogos, músicas, filmes e séries.

Oi! Tudo bem? É sua primeira vez aqui? Gostou da publicação? Sinta-se livre para deixar sua opinião e também o link do seu blog. Tenha certeza de que eu irei conhecê-lo.

Você pode nos acompanhar também pelo facebook, twitter e instagram. E, caso queira entrar em contato conosco, envie uma mensagem para o e-mail blogthaynissima@gmail.com. Responderei em breve!

Seja bem-vindo(a), sinta-se à vontade e volte sempre que quiser. (:

Postagens mais visitadas deste blog

FanPage: As crônicas de Wesley

"Um baiano inocente em um mundo pervertido contando crônicas baseadas em fatos quase reais." Wesley é um jovem desenhista talentoso que estuda eletromecânica na IFBA. Na sua fanpageAs Crônicas de Wesley, ele conta relatos da rotina de adolescentes, ou mini-jovens, como os denomina. Confira as melhores:


Clique na imagem para ampliar sua visualização.
E ainda tem muita tirinha engraçada lá, conheça todas. Estão no Facebook e no Twitter. ;)

Os 5 clipes que você já deveria ter visto #3

Antes de qualquer coisa eu gostaria de desejar um feliz natal aos meus queridos leitores. Que tenha muita fartura, risadas, paz e amor no seu dia! Finalmente estou em período de férias (na faculdade) e agora vai ter publicação todo dia - ou é o que espero. Eu sei que a maioria deveria estar esperando alguma publicação relacionada ao natal, mas isso não vai acontecer aqui. Só queria compartilhar essa mini playlist com as músicas que mais ouvi (repetidas vezes) em dezembro. Vamos nos preparar emocionalmente pra o monte de comida que nos aguarda? MELHORA TEU HUMOR! Confere aí, vai:

Selena Gomez - Same Old Love

Carl Rae Jepsen - Run Away With Me

Calvin Harris - How Deep Is Your Love (feat. Disciples)

Ellie Goulding - On My Mind

Hailee Steinfeld - Love Myself

Cultura brasileira: 5 cantores para apaixonados

Pra vocês não ficarem pensando que eu sou uma daquelas pessoas sem coração que acredita que tudo de melhor só tem no exterior eu criei essa categoria pro blog: cultura brasileira. Não sei se vocês perceberam, mas o blog está infestado de coisas internacionais: músicas, filmes, séries, livros e até palavras em outro idioma. E, nossa, quando eu vejo isso eu também me pergunto se eu realmente sou brasileira. Será que sou? Haha. Pra começar bem com esta nova seção do blog eu imaginei que alguém aí estava interessado em se afundar mais na paixão que sente pelo crush (tá vendo? como que para com essa mania, gente?!). Preparado pra se emocionar?

Clarice Falcão

Clarice é recifense (♥), cantora, compositora, atriz, roteirista e humorista. Ela canta canções de amor de uma forma bem especial - como o clipe indicado acima - com músicas de gênero indie, folk e mpb. Pra conferir mais do seu trabalho procura o álbum "Monomania" no seu perfil do Spotify. Amo a maioria das músicas desse álb…